ÁREA RESTRITA - Bem Vindo {NOME_USUARIO}




NOTÍCIAS


CONCÓRDIA

Bebê Anthony, que lutava contra doenças raras, falece no HSF
Corpo já está sendo velado.


Por Luan de Bortoli
Em 08/11/2017 - 21h14 - Atualizada em 09/11/2017 - 08:28



O pequeno Anthony Carpeggiani, de quase seis meses de vida, que lutava contra duas doenças raras no coração, faleceu no início da noite desta quarta-feira, dia 08, depois de uma complicação no quadro clínico. Na semana passada, os médicos haviam percebido uma piora no estado do bebê, que vinha em evolução positiva da situação clínica. Ele estava internado no Hospital São Francisco também em decorrência de uma pneumonia. 

Conforme a mãe dele, Elisandra Martins, há pouco menos de um mês ele precisou ser internado por conta da intercorrência, e foi quando o quadro começou a piorar. Ele precisou ser levado à Unidade de Terapia Intensiva da unidade hospitalar. Nas redes sociais, ela explicou que os batimentos estavam acima de 200, o que fez ser cogitada a possibilidade de ele ser levado para um hospital de referência, possivelmente novamente no Rio Grande do Sul, onde ficou por alguns meses.

Conforme a família, ele está sendo velado desde a noite de ontem. A despedida ocorre na igreja Vida em Cristo, localizada na Rua Senador Attilio Fontana, no Bairro Santa Cruz, que fica pouco antes do acesso ao Bairro dos Estados, no sentido centro/SC-283. O culto de despedida do Anthony ocorre às 9 horas. Em seguida eles seguem para o sepultamento no cemitério municipal.

Nas redes sociais, os amigos e parentes, surpresos e tristes com a notícia, prestavam condolências aos pais Elisandra e André. As palavras de confortos surgiam de todos os lados dando forças para os pais e os parentes mais próximos.

Anthony foi identificado em maio com duas doenças raras no coração e precisou ficar internado no Hospital da Criança, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, recebendo um tratamento delicado. Primeiro, uma foi identificada em Concórdia - a Estenose Aórtica Crítica, condição em que as válvulas do coração se estreitam e compromete o fluxo de sangue para o corpo. 

Isso exigiu que ele fosse levado urgentemente a Porto Alegre. Na capital gaúcha, a segunda surpresa: os médicos constataram uma segunda doença rara, a Síndrome do Coração Esquerdo Hipoplásico, uma malformação congênita que mantém o lado esquerdo do coração menor que o direito e sem funcionar corretamente. 

relembre o caso







SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA MAIS



© - Ideia Good - Soluções para Internet